BLOG COOPERFORTE
Mais Publicacoes
  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 10 de junho de 2015

Como surgem as grandes ideias?

Por: Cooperforte

topo_ideias

“Tudo começou com uma ideia!”, não é raro ouvir alguém dizer quando estamos diante de uma novidade. E não é sem motivo. Grandes invenções, grandes empresas, grandes descobertas na maioria das vezes evoluíram de uma ideia simples e despretensiosa, porém muito rica de possibilidades.

Entretanto, nem todas as ideias são aproveitadas e muitas delas, inclusive, por não serem levadas a sério, são descartadas, levando para o lixo a inovação que estavam sugerindo ou até mesmo o caminho diferente que poderiam estar apontando. É uma pena…

Diferentemente de processos e métodos tradicionais de produção e criação intelectual, as grandes ideias costumam surgir espontaneamente, como exercício e resultado de um pensamento livre, que em algum sentido vai além dos padrões e dos limites da realidade. Mesmo que diga respeito a eles ou que tenha surgido com a intenção de transformá-los, as melhores ideias muitas vezes brotam do acaso ou de uma situação inusitada. E por isto são, verdadeiramente, inovadoras.

Segundo observadores e estudiosos, as grandes ideias se tornam melhores ainda quando são confrontadas com outras e diferentes ideias. Quando conflitadas e influenciadas por elas, aproveitam e assimilam o que elas lhe podem agregar e enriquecer.

É por isto que em muitos casos os produtos e soluções que surgem da criação coletiva são mais ricos do que aqueles que resultam de produções individuais. No vídeo abaixo, o escritor de ciência norte-americano Steven Berlin Johnson explica detalhadamente como surgem as grandes ideias, com ilustrações e em português. Veja!

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 8 de junho de 2015

Alimentos para o corpo e para o entusiasmo

Por: Cooperforte

topo_comida

Mesmo com todo o desenvolvimento tecnológico e com a automação que tornou mais fácil e mais rápido desenvolver muitas tarefas, o ritmo da vida atual é bastante intenso.

A todo instante as pessoas recebem infinitas informações, mensagens, demandas, comandos e apelos que concorrem com as múltiplas obrigações e atividades que precisam realizar, quase simultaneamente, para que não falte nada na vida pessoal nem na profissional. E estas exigências, sem dúvida, são fatores de estresse. Mas existem alguns recursos que auxiliam na redução do estresse e um deles, por exemplo, é controlar o volume de informações eletrônicas que recebe, processa e compartilha, pois estas mensagens roubam atenção e consumem o tempo tanto de quem envia quanto de quem recebe.

Outro fator muito importante no combate ao “mal de nosso tempo” é a alimentação. Juntamente com o controle do peso,  repousos no tempo necessário e exercícios físicos, a adequação e a disciplina alimentar tem grande efeito sobre a saúde, diminuindo o desgaste físico e mental e contribuindo para o bem-estar. No caso do estresse, destacam-se os seguintes alimentos:

Leguminosas – grãos como feijão, ervilha e lentilha, ricos no aminoácido triptofano, ajudam na formação de serotonina, que induz à sensação de felicidade.

Cereais – arroz e aveia são ricos em vitamina B, proteína magra, vitaminas e potássio – um complexo muito útil para inibir o estresse.

Laticínios – leite, queijos e iogurtes  também devem fazer parte da alimentação saudável, pela quantidade de proteínas, ácidos graxos e sais minerais que possuem.

Frutas – especialmente a banana, que é muito rica em potássio, proteínas, vitaminas e triptofano, também existente nas leguminosas.

Ovos – na quantidade adequada, também devem ser consumidos por quem quer se livrar do estresse, pois são ricos em proteínas, vitaminas e aminoácidos, que estimulam a criação de serotonina.

Mas para que o bem-estar comece logo no momento da alimentação, é importante que ela seja feita calmamente em um ambiente limpo, organizado, com iluminação agradável e sem poluição sonora nem atmosférica. Se a isto tudo for possível aliar uma bela paisagem, então o resultado será melhor ainda…

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 3 de junho de 2015

Economize água. Não a limpeza e o conforto

Por: Cooperforte

topo_agua

Como cada dia mais a água vale ouro, economizar este líquido precioso faz bem. Bem para o bolso, para a sociedade e para o planeta. E isto não é difícil. Com pequenas atitudes cotidianas chega-se a grandes resultados.

Neste sentido, o primeiro passo é conferir o funcionamento das torneiras e das válvulas de descarga hidráulica. Se torneiras que pingam permanentemente chegam a desperdiçar até 46 litros de água por dia, imagine uma válvula que apresenta vazamento.

Observar sinais de infiltração, conferir se os canos estão em bom estado e se as conexões possuem vedação ideal é outro cuidado importante. Quando não é este o estado encontrado, há casos de vazamentos que chegam a quase cem litros por mês.

Em casas com piscina, mantê-la coberta pode evitar 90% das perdas por evaporação, além de conservar a limpeza.

Mas acima de tudo é preciso mudar o comportamento em relação à água. Tomar banhos mais curtos, fechar a torneira ao ensaboar o corpo e a louça, não lavar calçadas e carros com mangueiras. É economia certa, para o bolso e para o meio ambiente!

Veja no Manual de Etiqueta 2015 do Planeta Sustentável mais algumas dicas sobre como economizar água sem diminuir a higiene, a limpeza e o conforto.

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 1 de junho de 2015

Tem lazer que não custa nada. E vale muito…

Por: Cooperforte

topo_lazergratis

Não é porque as contas do mês estão comprometendo quase todo o orçamento, e até estrangulando o bolso, que a diversão e o lazer precisam ficar fora da vida. Afinal, existem muitas formas de se divertir muito e gastar pouco, inclusive ganhando saúde, experiência e conhecimento.

Fazer exercícios físicos ao ar livre, por exemplo. Caminhar, correr, andar de bicicleta ou praticar algum esporte com os amigos gera bem-estar e satisfação e não custa nada. Isto acontece também com quem anda livremente pelas ruas prestando atenção na paisagem urbana: os grafites, cartazes, detalhes da arquitetura, objetos nas janelas não só distraem como  ajudam a conhecer e entender o modo de vida das pessoas e a cultura urbana da cidade. Isto, pode ser tema para boas conversas, que também são formas gratuitas de lazer.

Dedicar-se ao que gosta, desenvolvendo ou aprimorando habilidades, é mais um item importante desta lista. Sendo assim, que tal dedicar-se a algum hobbie, seja ele música, jardinagem, reciclagem, gastronomia, para ocupar, prazerosamente, suas horas vagas?

Aumentar o círculo de relacionamentos e visitar periodicamente os amigos são outras formas de diversão, principalmente quando isto envolve alguma atividade de lazer. Pode ser assistir jogos de futebol na televisão, discutir uma notícia que está em pauta, realizar em conjunto alguma atividade de interesse comum, como pesquisar e aprofundar-se sobre algum tema específico. Saúde, tecnologia, literatura, cinema ou, simplesmente, ócio.

Principalmente nas médias e grandes cidades, não é preciso fazer grande esforço para descobrir que existem programações esportivas e culturais gratuitas, entre elas shows, feiras, concertos, quermesses, visitação a museus e muito mais.

Mas uma coisa, antes de mais nada e acima de tudo, é fundamental: que a pessoa esteja internamente mobilizada para relacionar-se com o mundo, numa forma espontânea de intercâmbio que enriqueça seus conhecimentos e suas experiências. Entretanto, como toda regra tem exceção, não são raros os casos em que é o lazer que promove transformações, abrindo para a alma a janela do mundo…

 

  • Atualidades

  • Novidades

Publicado em Atualidades, Novidades , dia 27 de maio de 2015

Celular na sala de aula: vilão ou aliado?

Por: Cooperforte

topo_celular

Principalmente nas grandes e médias cidades, mais do que lápis e caneta, quase sempre o que o aluno tem na mão é um telefone celular. Isso é tão comum que, apesar de ter seu uso proibido em sala de aula na maioria das escolas, já começa a haver um esforço para que este novo e preferido “amigo” do homem seja utilizado como instrumento didático-pedagógico, e não uma distração.

Como o celular é hoje, desde a infância, quase uma extensão do corpo e uma necessidade do homem urbano, nada mais oportuno e conveniente do que isto. Afinal, por suas múltiplas funcionalidades, entre elas a conexão à internet, o telefone possui muitos recursos que podem ser utilizados no processo educacional, nas mais diversas disciplinas, da matemática à arte.

Tanto é assim que os laboratórios de informática são raríssimamente frequentados pelos alunos. Mais de 70% das escolas visitadas pela revista Veja em 2015 não utilizam o espaço constantemente. A razão é muito simples: seus equipamentos se mostram bastante obsoletos se comparados à modernidade dos notebooks, tablets ou smartphones da garotada.

Além dos grandes serviços online de consulta – que são muito mais do que verdadeiras enciclopédias digitais – existem alguns portais criados tanto para orientar os alunos nos seus estudos, inclusive para preparação para vestibulares e exames como ENEM e OAB, quanto para facilitar aos professores a organização das aulas.

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 25 de maio de 2015

Na internet todo mundo tem voz. Mas o que diz, aí é outra coisa…

Por: Cooperforte

topo_internet

Antigamente, quando alguém duvidava de algo que estava escrito, era muito comum dizer “papel aceita tudo!”. Trazido para a modernidade, este ditado popular cresce um pouco: “se papel aceita tudo, imagine a internet…”

Estes pensamentos são bastante sábios, pois significam que nem tudo o que se lê, assiste e ouve é realmente, ou inteiramente, verdade. Em relação à internet, então – que hoje possibilita a todo mundo expressar livremente o que pensa, imagina e deseja -, é preciso ter mais cuidado ainda. Afinal, não são raros os casos de atrocidades que foram cometidas simplesmente porque pessoas agiram influenciadas pelo que, levianamente, foi publicado nas redes sociais.

Isto mostra como é importante ser responsável ao publicar nas redes sociais, pois ninguém sabe ao certo nem o alcance nem os efeitos das mensagens. Quem deseja viver em um mundo melhor é cuidadoso na escolha do que veicula, evitando difundir qualquer material que compartilhe discriminação e preconceito, ou estimule a violência e comportamentos destrutivos.

A internet é uma criação tecnológica de valor inestimável. Modificou o mundo de tal forma que há quem agora divide a história da humanidade em duas eras: A.I. (antes da internet) e D.I. (depois da internet). Trouxe os benefícios democráticos incalculáveis, que vão desde o registro, a disponibilização, a difusão e o compartilhamento de todo tipo de conhecimento até a expressão dos mais profundos sentimentos individuais.

Com a internet todo mundo tem presença e voz e, virtualmente, pode ir e ser visto em todas as partes do planeta.Basta ter à mão algum aparelho ligado à rede mundial de computadores. Desde então, palavras e imagens não têm mais fronteiras, chegam aos mais remotos lugares. Por isto, mais do que nunca, é preciso ter consciência e responsabilidade.

Para saber mais sobre este assunto, leia também: Selfie: este autorretrato pode mostrar  o que você não quer ver

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 20 de maio de 2015

Quem sabe mesmo, aprende até com os erros…

Por: Cooperforte

topo_erros

O homem sonha em ser vitorioso e alcançar a perfeição e, sob este ponto de vista, todo erro é considerado uma falha imperdoável, que causa retrocesso e significa obstáculos e atrasos na trajetória do sucesso. Este pensamento é enfatizado desde cedo em vários modelos educacionais, sobretudo nos rígidos, focados mais no resultado do que no processo de aprendizado.

A sabedoria popular, generosa, reconhece que “errar é humano”, desde que a pessoa transforme o erro em uma oportunidade de aprendizado e aperfeiçoamento. Quantas vezes não foi corrigindo uma falha acidental que se adquiriu o conhecimento e a experiência necessários para ser bem sucedido em alguma situação futura? Mas, sem dúvida, o melhor é não errar…

A correção de um erro começa com o seu reconhecimento e análise de tudo o que o envolve, inclusive as consequências sobre si e sobre os outros. Ter consciência da falha cometida possibilita identificar as atitudes, condições e fatores que motivaram o equívoco e, assim, não só entender como tudo aconteceu mas também preparar-se para que no futuro, em situações semelhantes, se estará mais sábio para agir diferente.

Na opinião de psicólogos, a auto-obrigação de acertar sempre, que subjetivamente significa ser um eterno vencedor, gera tensão, ansiedade e angústia, principalmente diante de situações desafiadoramente desconhecidas. Ela “desumaniza” a pessoa em relação a fragilidades que são próprias da condição humana, criando nelas, como uma condecoração ou como uma condenação, a exigência de serem super heróis.

Mas como super heróis só existem no mundo da imaginação e da fantasia, quando elas caem encontram muito mais dificuldades para “levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima”. Então, pensando nisto, nunca é demais rever conceitos…