BLOG COOPERFORTE
  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 7 de fevereiro de 2013

CARNAVAL: NÃO DEIXE QUE A FOLIA PREJUDIQUE O SEU BOLSO

Por: Cooperforte

A partir do dia 9 de fevereiro, a alegria e as cores do Carnaval tomarão conta de todo o Brasil. Para não terminar a folia com dor de cabeça, confira algumas dicas para reduzir ou evitar gastos maiores durante a festa:

Passagens aéreas: Evitar os altos preços requer a compra das passagens com ao menos 4 meses de antecedência. Deixou para a última hora? Opte pelos voos “corujões”, na madrugada. Geralmente o valor das passagens entre meia-noite e 6 da manhã é mais em conta.

Viagem de carro: Faça uma revisão preventiva antes de pegar a estrada. O custo certamente é menor do que um eventual problema durante a viagem. Se você estiver com os amigos, divida a despesa do combustível entre todos. E se o veículo for um modelo flex, calcule qual combustível vale mais a pena para abastecer seu carro. Viaje dentro dos limites de velocidade das rodovias. É seguro e mais econômico.

Hotéis: A reserva antecipada ganha em economia. Mas se você quer viajar neste feriado, consulte a internet em busca do melhor preço, de acordo com seu orçamento e suas exigências de conforto. Observe que hotéis em áreas turísticas são, geralmente, mais caros que os demais. Para economizar, evite-os.

Albergues e pousadas: Com instalações mais simples, podem ser uma ótima alternativa, por serem mais baratos.

Contas da folia: Estipule um valor limite para ser gasto durante os dias de festa, e subtraia diariamente os seus gastos do total, considerando todas as despesas. Anote tudo para não se perder nas contas.

Cartão de crédito: É uma forma de pagamento segura, mas também uma tentação. Por este motivo, não o leve com você. Carrega-lo na carteira poderá fazer você gastar mais que o necessário.

“Pega turista”: Este termo é aplicado àqueles típicos lugares de maior circulação de turistas, onde serviços podem custar mais caro aos visitantes de fora. Para evitar ser “pego”, informe-se com os próprios moradores da região sobre os melhores locais para comer e passear, e faça economia.

Fantasia ou Abadá?: Use a criatividade e opte por fazer, você mesmo, seu abadá ou fantasia, a partir de peças esquecidas no seu guarda-roupa. A customização é barata e você encontrará na internet muitas dicas de fashionistas, sobre como customizar sua roupas.

Mochila nas costas: Um pouco de peso compensará sua saúde e seu bolso. Na mochila, você poderá levar água, frutas e barras de cereal, saciando a fome facilmente e com menor custo, quando comparado ao das barraquinhas e quiosques de comida.

O planejamento financeiro também deve ser aplicado o ano inteiro, incluindo os dias de folia. Divirta-se sem prejudicar seu bolso e curta o Carnaval.

 

Fontes:

http://vilamulher.terra.com.br/7-dicas-para-economizar-no-carnaval-5-1-37-1049.html

http://mdemulher.abril.com.br/carreira-dinheiro/reportagem/orcamento-domestico/como-nao-gastar-alem-necessario-viagem-carnaval-677002.shtml

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia

ENSINE AO SEU FILHO: DINHEIRO NÃO DÁ EM ÁRVORE

Por: Cooperforte

Boa parte das crianças já ouviu esta expressão, geralmente em situações onde elas pedem mais do que os pais podem oferecer, em termos financeiros. A negativa é saudável e necessária para conscientizar as crianças sobre a importância do dinheiro e do uso correto do crédito.

Na infância deve ser iniciada a educação financeira, garantindo aos filhos o aprendizado da administração do dinheiro e os benefícios que esta prática traz, principalmente na vida adulta. Antes de começar a ensinar, os pais devem escolher a melhor maneira (metodologia) de educar financeiramente as crianças. Um único método facilitará o entendimento e o aprendizado, sem confundir os pequenos.

A partir de então, os pais devem explicar o tema aos filhos no contexto deles, considerando que são crianças. Isto ajudará a compreensão e despertará interesse sobre o assunto. O dinheiro deve ser dado aos finais de semana, e o primeiro montante deverá ser acompanhado de um cofrinho, o que ajudará seu filho a compreender o significado de poupar.

A educação financeira também deve ensinar as crianças sobre suas prioridades. Afinal, não se pode ter tudo ao mesmo tempo. Muitas coisas demoram até serem conquistadas. Por isso, se ela ansiar por um tênis ao passear no shopping, por exemplo, faça com que ela reflita em comprar o que está desejando naquele momento ou economizar o dinheiro para adquirir o vídeo game que ela tanto almeja ter.

Lembre-se: o exemplo é um importante aliado na educação financeira. E os pais são professores por meio das próprias práticas. É importante que eles tenham atitudes que condigam com o que estão ensinando. E nunca remunere os pequenos por cumprir tarefas domésticas ou escolares. Adquirir conhecimento ou ajudar a família jamais deve resultar em recompensa financeira.

Desta forma, ao invés de afirmar que “dinheiro não dá em árvore”, sente e converse com o seu filho sobre o assunto, ensine e mostre exemplos para que ele entenda o valor do dinheiro. No futuro, ele lhe agradecerá.

 

Fontes:

http://bit.ly/8YUBX9

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 30 de janeiro de 2013

O COMPROMISSO FINANCEIRO COMPENSA O PRAZER DE TER UMA CASA NA PRAIA?

Por: Cooperforte

A resposta para essa pergunta é pessoal, por que pesam sobre ela aspectos financeiros e a importância que a família dá em ter um lugar exclusivo na praia.

Sob o ponto de vista econômico, este é um investimento alto. De acordo com o especialista financeiro e autor do livro “Quanto custa ficar rico?”, Paulo Portinho, os custos anuais de uma casa que valha

R$ 400 mil são, em média, de 53 mil reais. Neste cálculo, Portinho considerou gastos com fornecimento de água, energia elétrica, assinatura de TV a cabo, IPTU, seguro, pagamento a empregados ou prestadores de serviços, além do custo denominado “custo de oportunidade”.

De acordo com o especialista financeiro, o “custo de oportunidade” – o valor do imóvel investido em aplicações financeiras – renderia 5,5% ao ano acima da inflação. Sendo assim, no final do ano, o investidor que optou aplicar o dinheiro somaria um montante de mais de 28 mil reais.

Mas, a aquisição de uma casa na praia também não deixa de ser um investimento. Trata-se de um imóvel, e ele poderá se valorizar acima da inflação, dependendo do momento da compra e da venda. A casa na praia também poderá ser alugada nos períodos em que não esteja em uso pela família, contribuindo para pagar este investimento.

Entre as vantagens deste imóvel está a proximidade da natureza e a possibilidade de aproveitá-lo em qualquer época do ano, sem requerer reservas ou limitações de uso. Porém, o sonho da casa na praia deve incluir as contas e os gastos que ela acarreta ao orçamento. O professor de finanças do Instituto de Ensino e Pesquisa – Insper, Ricardo Almeida, resume o tema dizendo “O melhor jeito é calcular quanto o imóvel vai custar por mês e refletir se o custo vale os benefícios.” Então, coloque desejos e despesas na balança e veja o que mais vale a pena para você.

  • Cooperativismo

  • Negócios

Publicado em Cooperativismo, Negócios , dia 8 de janeiro de 2013

COM A COOPERAÇÃO, O MATERIAL ESCOLAR PODE FICAR MAIS BARATO

Por: Cooperforte

Existem muitas medidas que podem ajudar você a economizar na compra do material escolar do seu filho. Porém, nas compras coletivas você consegue os maiores descontos.

Por meio da cooperação entre pais, a compra de maior volume permite negociar valores menores, e os filhos recebem uma aula de relações sociais, cooperativismo e matemática financeira. Essa parceria entre pais pode oferecer descontos entre 20% e 90%, de acordo com o educador financeiro, Mauro Calil.

Na hora das compras, vale observar que os itens mais sofisticados, de marcas reconhecidas, encarecem a lista sem representar benefício ao aluno. Itens mais simples e mais baratos podem conciliar bom gosto e menor custo para pais e filhos.

Segundo uma pesquisa do Instituto Data Popular, 16% das famílias de classe C e 10% das famílias de classes A e B já adotaram as compras coletivas do material escolar. O resultado dessa pesquisa mostrou que no total, 2,5 milhões de brasileiros têm este hábito. Para tornar este movimento ainda mais vantajoso para as famílias, o PROCON sugere que os pais façam pesquisas individuais dos materiais escolares, a fim de encontrar a loja com os melhores preços.  O órgão também adverte que as escolas não têm o direito de exigir produtos por marcas; cabe às escolas somente determinar as especificações técnicas do produto.

Mauro Calil ainda dá um conselho: permita que as crianças opinem apenas na escolha de materiais como mochila ou estojo. Segundo ele, a interferência das crianças nos demais produtos será prejudicial, porque elas não são capazes de ver o lado financeiro dessa compra, e acabam querendo os produtos com os personagens de sua preferência, que geralmente são mais caros.

A compra coletiva, além de proporcionar bons descontos no material escolar, é uma oportunidade para confraternizar e conhecer melhor as famílias dos amigos do seu filho. Boas compras!

 

Fontes:

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2011/01/compras-coletivas-ajudam-pais-economizar-com-material-escolar.html

http://oglobo.globo.com/economia/compras-coletivas-reduzem-gastos-com-livros-material-escolar-diz-pesquisa-2840442

http://delas.ig.com.br/filhos/economize-no-material-escolar-com-compras-coletivas/n1237965268761.html

  • Negócios

  • Sustentabilidade

Publicado em Negócios, Sustentabilidade , dia 4 de janeiro de 2013

Economia, mesmo no verão.

Por: Cooperforte

O verão, sinônimo de férias e divertimento, é também um período de muitos gastos – as festas do Natal e Ano Novo, os passeios e as viagens de férias, a compra do material escolar e os impostos. Para evitar mais gastos nestes dias, conheça algumas orientações para economia de água e luz, mesmo na estação mais quente do ano:

Cortinas e persianas: Tente mantê-las abertas por mais tempo, aproveitando a iluminação do dia. Com esta medida você acenderá as luzes somente quando for necessário.

Leitura: Se você gosta de ler antes de dormir, opte por abajures com lâmpadas de baixa potência. Esta iluminação será suficiente para sua leitura e você evitará o consumo das lâmpadas de maior potência, usualmente instaladas no teto, para clarear o ambiente.

Chuveiro elétrico: Ele responde por 24% do valor da conta de energia, nas residências. Para reduzir seu consumo, altere a potência de aquecimento do chuveiro, do modo Inverno para o modo Verão; ou, se possível, desligue-o. Na hora de ensaboar-se, feche a torneira. Especialistas sugerem evitar o horário entre as 18h e as 21h para se tomar banho. Estas horas de pico do uso de energia podem sobrecarregar a rede, causando apagões.

Geladeira: Evite abrir a porta da geladeira com frequência. Esta medida ajudará a manter o resfriamento e reduzir o consumo de energia elétrica. E não use a parte de trás do refrigerador para secar roupas. Esta sobrecarga tende a danificar o eletrodoméstico e aumentar seu consumo de energia.

Piscina: Vede vazamentos para evitar o desperdício de água, e mantenha a piscina coberta quando não estiver em uso. A piscina permanecerá limpa por mais tempo, reduzindo a aplicação de produtos químicos e contribuindo para a preservação da água e da natureza.

Água não é brinquedo: Os banhos de mangueira e as brincadeiras com água corrente podem ser divertidos, mas desperdiçam este importante recurso natural e têm impacto significativo na conta de abastecimento de sua casa ou do seu condomínio.

Ar Condicionado: Para reduzir o consumo de energia, desligue os aparelhos antes de sair de casa. Na hora de dormir, programe o aparelho para desligar-se em 30 ou 40 minutos, tempo necessário até você adormecer. E faça a manutenção periódica destes equipamentos. Esta medida preservará sua saúde e evitará o consumo excessivo de energia.

Com estas orientações você aliviará seu bolso e preservará o meio ambiente, deixando o consumo abundante para o sol, que reina nesta época do ano.

 

Fontes:

http://saberpoupar.com/artigos/30-formas-poupar-dinheiro-ar-condicionado

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2012/01/noticias/especiais/verao/2012/1080820-veja-como-economizar-energia-eletrica-no-verao.html

http://economia.uol.com.br/ultimas-noticias/redacao/2012/10/21/horario-de-verao-veja-como-economizar-na-conta-de-luz.jhtm

http://www.ongaguaevida.org.br/blog/10-sustentatibilidade/59-dica-de-sustentabilidade-%E2%80%93-economize-neste-ver%C3%A3o

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 11 de dezembro de 2012

O Natal é um momento mágico, mas o seu cartão de crédito não é!

Por: Cooperforte

Brilhos, luzes e vitrines encantadoras. Tudo é mágico no Natal! A promessa de compras “fáceis” de pagar, amplos parcelamentos e o estímulo ao consumismo nesta época do ano acabam induzindo as pessoas a comprar presentes além de suas condições financeiras, com a ilusão de deixar seus familiares “mais felizes”.

No Brasil, os juros dos cartões de créditos estão entre os mais altos do mundo, 11% ao mês, chegando até a 250% ao ano. Se os encargos são abusivos com os consumidores, parece que a maioria dos brasileiros não se importa. De acordo com a Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), 73,2% das famílias brasileiras possuem dívidas com o cartão de crédito.

O cartão de crédito tem vantagens como meio de pagamento, mas para usá-lo de maneira positiva é necessário controlar os impulsos. Uma dica fundamental: evite andar com o cartão de crédito na carteira. Essa atitude fará você pensar melhor em relação à compra. Se você desistir apenas pelo trabalho de ir para casa pegá-lo, é porque o produto não era essencial. Com esta atitude, você também evitará roubos e furtos.

A verdadeira magia do Natal não reside nos presentes que colocamos sob a árvore. Ela está em compartilhar este momento com aqueles que você ama, e exercer os propósitos de humanidade, solidariedade e afeto que este período do ano evoca. Pense nisto e faça compras conscientes.

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 4 de dezembro de 2012

Promoções de final de ano: Vá com calma antes de “aproveitá-las”

Por: Cooperforte

 

Apesar das vantagens, as promoções de venda merecem uma atenção especial. Principalmente no período do ano em que mais gastamos com presentes.

Na sexta-feira, 23 de novembro, não se falou em outra coisa senão a “Black Friday”. Este dia de vendas a preços reduzidos tem origem nos Estados Unidos, representando a sexta-feira subsequente ao feriado do Dia de Ação de Graças. O “Black Friday” brasileiro apresentou ofertas muito boas, outras nem tanto, mas o fato é que o comércio eletrônico nacional bateu recorde e registrou R$ 217 milhões em vendas num único dia – um aumento de 117% em relação à “Black Friday” do ano passado.

Estes são números animadores para a economia, mas para muitos consumidores as compras realizadas nesta e em outras promoções não passam de simples “impulsos”, que fogem ao planejamento e acabam comprometendo boa parte da renda mensal com produtos que, às vezes, nem são utilizados.

Por isso, tenha alguns cuidados nas compras deste final de ano. Para ajudar, sugerimos seguir alguns passos antes de “aproveitar” as promoções:

1º “Vou aproveitar”: Antes de dizer esta frase, analise se você estava procurando por este produto antes de ver o desconto. Se a resposta for sim, siga adiante…

2º “Tem que ser agora”: Acalme-se, lute contra os impulsos e sempre faça uma pesquisa na internet para comparar o preço daquele produto em outras lojas.

3º “Parcelas a perder de vista”: Se este produto for comprometer mais do que estava planejado para a sua renda, desista da compra, e não tente mascarar o problema estendendo o pagamento durante os próximos meses.  Outro cuidado com as compras a prazo é observar os juros. Mesmo que o valor das parcelas esteja dentro do planejado, tente adquirir o produto à vista antes de realizar uma compra com juros. E sempre negocie um desconto.

4º “Estava escrito no folheto”: Se estava escrito, tem que ser cumprido. É seu direito exigir os mesmos descontos e condições que estavam sendo anunciados em qualquer tipo de publicidade do estabelecimento.

Com estas dicas, faça compras conscientes. E lembre-se que o maior presente é o carinho de sua família e dos amigos, partilhado nesta data.