BLOG COOPERFORTE
  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 22 de novembro de 2012

Planejamento 2013: o sucesso financeiro não tem mistérios

Por: Cooperforte

Simplesmente pular sete ondas, comer lentilha e vestir-se de branco ou amarelo não tornará você mais próspero em 2013, pois quase sempre alcançar sucesso financeiro não é uma questão de sorte. Por isso, não espere chegar a noite do ano novo e comece logo a se planejar. Você vai ver que manter o bolso folgado não tem mistérios e, para começar, precisa-se de muito pouco:  apenas papel, lápis ou caneta e um pouco de organização.

O primeiro passo para um planejamento financeiro é quantificar as receitas e despesas para, então, verificar se existe equilíbrio ou se você precisará adotar algumas medidas para que, na balança, o prato das despesas não pese mais do que o das receitas.

Antes de mais nada, conheça sua receita mensal, formada pelo salário ou aposentadoria e outras rendas, fixas ou sazonais. É ela que deve ser, no mínimo, o limite de seus gastos.

Feito isso, é hora de identificar e anotar todas as despesas fixas e regulares (contas, prestações, financiamentos, aluguéis), e também as sazonais, como impostos, seguros, despesas com educação e manutenção do carro, entre outras.

Não se esqueça de estimar gastos com lazer, especificando à parte os custos de cada atividade, como ida a restaurantes, a cinemas e assinatura de revistas e tv a cabo. Pense também nas eventualidades que trazem gastos emergenciais, inclusive na formação de uma reserva para atendê-las, pois muitas vezes elas são inevitáveis e surgem quando ninguém espera.

Conhecidos os pesos dos dois pratos da balança, veja como anda o equilíbrio. Se o prato das despesas estiver pesando mais do que o das receitas, atenção: o sinal vermelho está aceso! Por isso, confira entre os gastos aqueles que podem ser diminuídos ou eliminados, começando sempre pelos supérfluos ou secundários. Com certeza você verá que existem despesas desnecessárias que trazem grande prejuízo ao seu orçamento e, portanto, devem ser eliminadas.

Mesmo se na balança o prato das receitas pesar mais, não descuide. Verifique o tamanho da “folga” e pense que o ideal é cada vez mais aumentá-la, pois este é o caminho da tranquilidade e do sucesso financeiro. Segundo especialistas, o ideal é que as receitas sejam, no mínimo, 20% superiores às despesas.

Um bom instrumento para auxiliá-lo na identificação das despesas, para conhecê-las e avaliar seu impacto no orçamento, é a tabela deste link que você pode imprimir e preencher.

Feito este planejamento, pensando bem, não há mal nenhum em, na virada do ano, vestir-se de branco ou amarelo, pular sete ondas e comer lentilha. Afinal, “sorte tem quem acredita nela”! E não faz mal a ninguém…

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 13 de novembro de 2012

Antecipar as compras pode ser um bom negócio. Só depende de você!

Por: COMAR

Na pressa do mundo atual, de vez em quando desejamos antecipar o futuro para viver, hoje, o dia de amanhã. Aproveitando este embalo para aquecer suas vendas, muitas lojas, apesar de ainda ser novembro, já estão decoradas para o Natal, exibindo nas vitrines produtos que enchem os olhos e fazem palpitar o coração de muita gente.

Você já pensou que antecipar as compras de Natal pode ser um bom negócio? O movimento dos shoppings ainda é pequeno e as lojas geralmente estão abastecidas, oferecendo uma grande variedade de opções nos mais diversos produtos: roupas, calçados, brinquedos, eletrônicos, eletrodomésticos, móveis, games, livros, DVDs e muito mais.

Mas antes de sair às compras, planeje! Primeiro, liste todas as despesas dos próximos meses para, então, estabelecer quanto você pode destinar para as festas de fim de ano. Presentes, lembranças, passeios, amigo oculto, táxis, confraternizações em casa, em restaurantes, no happy hour e outras comemorações que são próprias do mês de dezembro. Tudo isto, quando não se planeja, pode fazer grande estrago no orçamento, muitas vezes durante vários meses, já que parcelamentos e crediários significam compromissos financeiros mensais.

Outra vantagem de começar mais cedo a fazer as compras de Natal é a tranquilidade com que tudo pode ser calculado, escolhido e mesmo negociado. Por mais que não pareça, isto pode trazer até uma boa economia, pois sem o estresse que agita a segunda metade de dezembro, comprar se torna um ato consciente e racional – menos influenciado pelos apelos do comércio. E com isso, quem ganha é seu bolso, você, sua família e até o planeta…

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 6 de novembro de 2012

Lazer e economia: Nos fins de semana prolongados, mantenha as finanças em dia!

Por: Cooperforte

 

Este ano, o primeiro feriado do mês de novembro caiu em uma sexta-feira, criando um fim de semana prolongado. Dia 15, quinta-feira da semana que vem, tem mais um feriado nacional. Em Brasília, na última semana, outro feriado prolongado, pois dia 30 é feriado local. Para muitos brasileiros, qualquer fim de semana prolongado ou recesso é um convite irrecusável para intensificar o lazer, às vezes até com uma pequena viagem. Mas nem todos lembram que o fim de semana mais longo, se não for planejado, além de descanso e diversão, também pode ser um risco para o equilíbrio financeiro.

Despesas com passagens, táxis, gasolina, restaurantes, bares, cinemas, hospedagem, passeios, lembranças e souvenirs – tudo isso, somado, quase sempre mostra despesas que, por não terem sido previstas, podem ser ameaçadoras para o orçamento.

Por isso, ao se preparar para os próximos feriados, não descuide das finanças. Neste sentido, são dicas úteis:

. Antes de mais nada, planeje - Com base em seu orçamento do mês atual e do mês seguinte, estabeleça quanto você pode destinar para gastar nos feriados. Isto pode ajudá-lo a escolher, corretamente, o destino e a programação que cabem no seu bolso.

. Calcule tudo – Procure identificar, detalhadamente, quanto custa tudo o que você pretende fazer nos feriados. Da gasolina à entrada de cinema. Das passagens à hospedagem e refeições. Dos passeios aos shows e lembranças.

. Compare, com atenção – Sabendo do quanto você pode gastar, é hora de alinhar os desejos com o bolso, para realizar o máximo de coisas possíveis sem colocar em risco a tranquilidade financeira.

. Escolha o melhor destino – Se o orçamento e o tempo disponível permitirem uma viagem, ótimo. Renovar os ares e fugir da rotina ajudam a se livrar das tensões cotidianas e até renovam os ânimos para enfrentar o dia a dia.

Mas se viajar não for possível, qual o problema? Nem sempre o melhor lazer é aquele que está mais longe. Às vezes, em nossa própria cidade, é possível se divertir, relaxar e se enriquecer culturalmente. E o que é melhor: sem gastar muito.

Para isso, é só descobrir opções de passeios ao ar livre, em parques ou jardins; aproveitar a programação cultural gratuita prevista para dias de feriado; visitar monumentos locais que você ainda não conhece; reservar um tempo para fazer uma visita e bater um papo com os amigos que você não vê há um bom tempo.

Enfim, inventar sua própria agenda de diversão e descanso e aproveitar ao máximo o tempo livre. Se possível na companhia das pessoas queridas…

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 30 de outubro de 2012

Na lei das finanças, duas compras não cabem no mesmo valor

Por: Cooperforte

Assim como pelas leis da física dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo, igualmente pelas leis das finanças dois gastos ou duas compras não podem caber em um mesmo centavo, de um mesmo real, de um mesmo milhar de real, jamais podem caber dentro de uma mesma quantia de dinheiro, seja ela qual for.

A “lei” é esta: não se gasta o mesmo dinheiro com duas coisas distintas! Se você gastar certa grana com isto, não terá esta mesma quantia para gastar com aquilo, ou seja, com dinheiro é assim, é toma-lá, dá-cá. É abrir mão de uma coisa que você cobiça menos para, com a mesma grana, poder ter acesso a alguma coisa que você deseja mais.

Veja o caso da conta do celular, por exemplo. É legal, é bacana poder jogar conversa fora no celular sem ficar regulando, não é mesmo? Pena que custa muito caro: sua conta pode fácil-fácil chegar nos R$ 100 por mês, o que dá R$ 1.200 por ano. Trata-se de um bom dinheiro, certo?

Enxugando R$ 50 mensais na conta de celular, você terá acumulado algo como R$ 2 mil após três anos de investimento dessa economia mensal na caderneta de poupança.

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia

Economia não se aprende só na escola

Por: Cooperforte

Novembro chegando, muitas escolas particulares já começaram a enviar os contratos de renovação de matrículas para o ano que vem. Segundo o Sindicato das Escolas Particulares de São Paulo, são previstos aumentos na faixa de 8 a 12%.

Algumas escolas cobram taxa de reserva de matrícula para novos alunos. Nestes casos,  por ser considerado adiantamento, o que for pago nesta condição deve ser descontado do valor da matrícula definitiva ou no pagamento da primeira mensalidade. Se houver desistência, informar à escola no prazo estabelecido garante devolução total ou parcial do valor pago.

Ler atentamente o contrato de matrícula é importante para evitar surpresas, mesmo quando tratar-se de renovação, pois pode ter havido alterações de um ano para outro.

Como economia é lição que não se aprende só na escola, quando o assunto é sobre educação, algumas iniciativas podem fazer muito bem para o seu bolso. Vamos a duas:

1 – Antecipe-se! Estude as possibilidades e compare os preços praticados em várias escolas, faculdades, cursos e outros. Verifique se oferecem descontos para quem renova a matrícula com antecedência e negocie. Lembre-se de que quanto mais próximo estiver o término das matrículas e inscrições, menores serão as chances de negociar vantagens.

2 – Conheça as escolas e faculdades que tem convênios educacionais com a Cooperforte. São quase cem em todo o país, da educação infantil à pós-graduação, inclusive cursos de idiomas, extensão e à distância. Para conferir a lista completa e todos os convênios, acesse: http://goo.gl/ArXYs.

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 11 de outubro de 2012

Registrar despesas é bom método para poupar

Por: Cooperforte

Dica para ter controle de seus gastos: registre diariamente todas as suas despesas. Pode parecer entediante, mas esta é a forma ideal para você descobrir para onde está indo seu precioso dinheirinho. Ciente disso é mais fácil saber quais as despesas que são desnecessárias e, se livrando delas, começar a poupar.

Durante um mês, guarde os talões, recibos, notas fiscais e tíquetes de tudo aquilo que comprar ou consumir, anotando também em uma folha ou caderneta ou arquivo eletrônico os gastos dos quais você não tem comprovante. No final do mês, quando verificar quanto impactou em seu orçamento aquele jantar fora ou a compra de um calçado que você nem precisava, com certeza você vai saber como é importante valorizar a educação financeira!

Seja persistente, repita este processo até conseguir poupar o dinheiro que deseja. E depois, não descuide do controle das despesas, porque assim você estará acompanhando de perto o seu orçamento, inclusive para saber quando pode mimar-se com um pequeno luxo ou quando é hora de apertar o cinto!

  • Negócios

Publicado em Negócios , dia 9 de outubro de 2012

Economia no dia a dia (2)

Por: Cooperforte

Na cozinha, no comércio e no carro você pode economizar no seu bolso e o planeta.

Cada vez mais, economizar é preciso, não só pelo aspecto financeiro, mas em especial pelas questões ambientais. Pensando assim, dicas são sempre bem vindas, não é mesmo?

Então, se ligue nestas sugestões. Elas são boas para o seu bolso e dão uma força para o planeta!

  • Ao cozinhar, mantenha as panelas tampadas. Deste jeito você gastará menos gás, pois os alimentos cozinharão mais rapidamente.
  • Ao fazer compras, prefira produtos com embalagem simples. Embalagem sofisticada significa extração e consumo de muitos recursos naturais. E muitas vezes o custo da embalagem influencia o preço final do produto.
  • Assim como na sua vida, evite carregar peso desnecessário em seu automóvel, pois quanto maior for o peso transportado, maior também será o consumo de combustível. Rodando mais leve você ajuda o meio ambiente e gasta menos para abastecer seu carro.
  • Se puder recicle ou encaminhe para reciclagem o óleo de cozinha usado. Despejado no esgoto ou no solo, ele se transforma em um grave poluente, principalmente das águas. Por meio da reciclagem, óleo usado pode ser transformado em sabão e biodiesel, entre outras coisas. Nas capitais e grandes cidades, várias cooperativas e entidades ambientais recebem ou recolhem óleo de cozinha usado para reciclagem. É só consultar na internet que você encontra, inclusive, ensinamentos para fazer sabão!