BLOG COOPERFORTE
  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 15 de janeiro de 2013

OS DEGRAUS DA ASCENSÃO PROFISSIONAL

Por: Cooperforte

O crescimento profissional não depende só de nosso empenho e vontade. A escada que nos leva aos patamares mais altos da carreira tem a influência de fatores além de nós, mas galgá-la é possível.

Estar à vontade no ambiente de trabalho é o primeiro degrau para o crescimento dentro da empresa. Faça dos seus colegas de trabalho também seus amigos. Essa atitude tornará o seu dia mais agradável, transformando o cotidiano e facilitando cumprir as tarefas diárias. Amizade e confiança na equipe da qual você faz parte permitem partilhar conhecimento e aprender, dois dos fatores primordiais para o sucesso.

Pergunte sem medo e observe tudo à sua volta. Segundo Michael Eraut, um dos maiores especialistas em aprendizado no trabalho, “a prática é a maior fonte de conhecimento a que um profissional pode ter acesso e a mais rica delas”. Valorize cursos, treinamentos e congressos, mas nunca dispense comentários e conselhos de alguém com mais experiência que você. Saber ouvir é muito importante na escalada rumo ao alto, e será extremamente importante no momento de dar novos passos, ou quando você precisar de apoio e engajamento em novos projetos.

Não tenha receio de se oferecer para mais trabalhos ou dar sua opinião sobre aquilo em que você acredita. A iniciativa e a pró-atividade são bem vistas e valorizadas por quem chefia e por quem contrata, no mercado de trabalho.

No percurso da ascensão profissional é preciso se preparar para estar apto quando as oportunidades aparecerem. Cursos de especialização, domínio de línguas (inclusive o português) e networking (gestão dos contatos profissionais que fazemos ao longo da carreira) são algumas das habilidades que devemos desenvolver. E para alcançar o topo da escada é fundamental caminhar por ela. Isto lhe conferirá experiência e capacidade de observar, ouvir e aprender com aqueles que já subiram esses degraus.

 

Fontes:

http://revistalingua.uol.com.br/textos/63/artigo249013-1.asp

http://vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua-carreira/materia/materia-capa-sim-voce-tem-experiencia-688366.shtml

http://gazetaonline.globo.com/_conteudo/2010/09/667591-quer+progredir+na+carreira+invista+em+certificacoes.html

http://mdemulher.abril.com.br/carreira-dinheiro/reportagem/carreira/9-dicas-fazer-sua-carreira-decolar-626212.shtml

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 26 de dezembro de 2012

Réveillon na praia. Paciência no trânsito.

Por: Cooperforte

Com a maior circulação de pessoas no final do ano, às vezes é difícil escapar dos engarrafamentos, principalmente se você estiver numa cidade de praia. Ao entrar em uma determinada avenida e perceber que está em um beco sem saída, o que fazer? Com estas dicas você poderá evitar a ansiedade, a raiva e o inconformismo que podem tomar conta nessas horas:

-Músicas: Descubra novas rádios; aproveite para sintonizar o som do seu automóvel com as rádios da cidade. E cante as músicas que você gosta.

-Celular: Aproveite o tempo para organizar a agenda, atualizando contatos anotados na correria do dia a dia. Outra opção é baixar aplicativos que você queira ou apagar mensagens que estão ocupando a memória do seu aparelho.

-Antecipe-se: Ligue para os amigos e organize a sua semana, planejando os passeios e as atividades que pretende fazer.

-Limpe o carro: Este é o momento de jogar papéis, embalagens e folhetos fora, esvaziando o console e o porta-luvas. Se você não tiver uma lixeirinha ou um saco de lixo no carro, reserve o descarte para jogar o lixo no lugar certo; nunca na rua.

-Observe ao redor: Mesmo em meio ao trânsito, a praia oferece paisagens extraordinárias. Concentre-se na natureza; e lembre-se que muitas pessoas ao seu redor estão passando pela mesma situação. Seja solidário e paciente.

-Redes Sociais: Aproveite o tempo no trânsito e alerte outros motoristas sobre o congestionamento. Diga o que você está vendo e certamente haverá alguém disposto a conversar ou indicar uma rota melhor, se houver.

Se depois de tudo isso o trânsito ainda estiver parado, pense que você está a caminho da praia, e que logo mais estará se divertindo à beira-mar. Relaxe e não deixe que pequenos empecilhos estraguem o seu lazer.

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 13 de dezembro de 2012

As férias estão chegando. Se vai viajar, não deixe sua casa desprotegida…

Por: Cooperforte

Para aproveitar as férias com tranquilidade, não basta colocar a família no carro ou avião e seguir viagem. Antes disso, também é necessário pensar na segurança da casa, principalmente quando ela vai ficar muitos dias fechada.

Segundo noticiários e estatísticas policiais, é nos meses de dezembro e janeiro que mais aumenta o número de furtos e roubos a residências. Isto porque os ladrões aproveitam que muitas famílias estão viajando para furtar casas, já que é menor o risco de serem flagrados em suas ações criminosas.

Sabendo disto, veja algumas dicas que aumentarão a segurança de sua casa, deixando assim sua viagem mais tranquila:

-Redes sociais: evite comentar nestes canais a viagem que fará, pois em geral não se tem controle do alcance das informações publicadas nas redes sociais. Assim, quanto menos pessoas souberem da sua ausência, melhor.

-Revistas e jornais: providencie suspensão temporária da entrega de jornais e revistas que tenha assinatura. O acúmulo de impressos no lado de fora da porta, nas caixas de correio e portarias é um aviso de que a casa está vazia.

-Chave reserva: deixe uma cópia das chaves da casa com alguém de confiança, preferencialmente um amigo ou parente. Peça que ele visite sua casa pelo menos 2 vezes por semana, retirando as correspondências.

-Esconderijos conhecidos: nunca deixe chaves escondidas em vasos de flores ou debaixo de tapetes nem guardada na portaria. É uma estratégia falha, pois em caso de tentativas de assalto, estes serão os primeiros locais revistados pelos ladrões.

-Cão de guarda: para quem mora em casa, ter cachorro adestrado pode ser muito útil nestas ocasiões, pois ele servirá tanto para alarmar, quanto para dificultar a entrada de ladrões. Entretanto, é necessário encarregar alguém para cuidar dele durante sua ausência, lembrando que esta ação não pode ser pista de que a casa está vazia.

-Integração eletrônica com vizinhos: câmeras e alarmes são mais eficazes quando integrados aos sistemas de segurança dos vizinhos. Pense nesta possibilidade e em como torná-la realidade.

-Empresas de vigilância: antes de contratar uma empresa para prestação dos serviços de vigilância, verifique se ela possui cadastro na Polícia Federal. Esta providência é fundamental.

-Campainha: desligue a campainha. Sem ela, possíveis assaltantes ficarão incertos quanto à presença de alguém em casa.

-Água, gás e energia elétrica: feche os registros de água e gás e tire da tomada todos os equipamentos que for conveniente. Isto pode evitar que aconteçam alguns acidentes durante sua ausência.

-Entradas: portas, janelas e outros acessos da casa revestidos com grades internas ou trancas extras, por dificultarem a entrada clandestina, podem levar os ladrões a desistirem de uma ação criminosa.

Prevenir-se também é passaporte importante para uma viagem tranquila!

 

Fonte:

http://mulher.uol.com.br/casa-e-decoracao/noticias/infomoney/2011/12/29/ferias-e-festas-exigem-cuidados-com-a-seguranca-de-casas-e-condominios.htm

http://noticias.r7.com/sao-paulo/noticias/cuidados-ao-sair-de-casa-ajudam-a-garantir-ferias-tranquilas-dizem-especialistas-20091221.html

http://noticias.terra.com.br/brasil/noticias/0,,OI5536200-EI5030,00-Garantir+seguranca+da+casa+no+fim+de+ano+inclui+redes+sociais.html

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 22 de novembro de 2012

Ano Novo, casa nova? Quem sabe… Basta fazer tudo o que precisa ser feito antes de colocar as mãos à obra!

Por: Cooperforte

 

Ano Novo, vida nova! E, para alguns brasileiros, casa nova também, principalmente  para aqueles que irão reformar a casa neste final de ano.

Férias, 13º salário, tempo livre e, especialmente em 2012, IPI reduzido. Tudo isso, somado, é um grande incentivo para quem está decidido a, literalmente, dar a ordem de “mãos à obra”. Mas, antes de tomar esta decisão, sempre convém incluir a obra no planejamento geral da família e, para evitar surpresas financeiras, levar em conta algumas questões que são decisivas.

Não é raro, iniciada a obra, surgirem despesas não previstas. Do mesmo modo, não é raro, para realizá-las, recorrer a financiamentos que se prolongarão por vários meses. Entretanto, os primeiros meses do ano trazem compromissos financeiros inadiáveis, como matrículas, uniformes e material escolar, impostos, prestações das compras de Natal e outros. O melhor é conhecê-las previamente, inclusive para calcular quanto elas exigirão do 13º salário.

Não se esqueça: planejar (e não apenas planejar financeiramente) deve ser sempre o primeiro passo para realizar, sem prejuízos nem desgastes, a sua sonhada obra. Dedique um dia para fazer uma inspeção geral na área que pretende reformar, do chão ao telhado. Isso diminui as chances de que, durante a obra, apareçam imprevistos a exigir gastos não calculados. Mesmo assim, convém ter sempre uma reserva para eventualidades.

Orçamento, mais do que palavra-chave, é uma providência que se deve tomar logo depois de definir o projeto de reforma. Tanto dos materiais quanto dos serviços. Se possível, pesquise em três lojas especializadas e peça proposta detalhada a três profissionais igualmente habilitados a prestar o serviço; procure conhecer obras que eles já executaram. Desconfie se houver grande diferença de valor nas propostas recebidas, pois algo pode estar errado para mais ou para menos. Dizem que “quando a esmola é demais, o santo desconfia”.

A proposta de prestação de serviços deve contemplar, inclusive, a forma de pagamento. Como é mais comum ocorrerem atrasos que comprometam o prazo combinado quando o pagamento é feito por dia de trabalho, é melhor evitar esta modalidade.

Calculados os custos e aceita a proposta mais adequada, tudo deve ser documentado. A assinatura de um contrato garante segurança para as duas partes mas, para ser válido e eficiente, o contrato deve ser claro e conter:

- Identificação completa do contratante e do contratado

- Serviço contratado e endereço em que será executado

- Valor da mão de obra, condições e formas de pagamento

- Especificação (inclusive marca) dos materiais e equipamentos incluídos na proposta recebida e o que será considerado extra

- Nome da pessoa responsável pela compra do material

- Quantificação e especificação dos materiais que devem ser comprados

- Prazos, estabelecendo-se a data do início e do término dos serviços

- Valor da multa que será aplicada nos casos de atraso na conclusão da obra e no pagamento dos serviços

- Prazo e termos de garantia

- Assinatura de ambas as partes e também de duas testemunhas.

Com a certeza de que foram tomados estes cuidados – do planejamento financeiro da obra à definição do projeto, da pesquisa de preços e orçamento dos materiais ao exame das propostas para prestação do serviço, tudo levando em conta as despesas extras comuns a todo começo de ano – então chegou a hora de dar a ordem: mãos à obra!

  • Atualidades

  • Cooperativismo

  • Novidades

Publicado em Atualidades, Cooperativismo, Novidades , dia 8 de novembro de 2012

Um por todos, todos por um

Por: Cooperforte

Ações colaborativas crescem em todo o mundo, mostrando a força da coletividade.

A conhecida vaquinha, em que várias pessoas se juntam e, voluntariamente, colaboram financeiramente para a compra de algo ou para a realização de algum projeto, já entrou na onda da internet. Ganhou a classificação de financiamento coletivo e tem até um nome inglês – crowdfunding. Esta ação colaborativa surgiu nos Estados Unidos há uma década e de lá está se difundindo para várias partes do mundo.

Desde sua origem, o crowdfunding está mais ligado à produção artística e cultural, às causas ecológicas ou sociais e à tecnologia do que a outros setores. No Brasil, em linhas gerais, funciona assim: o interessado inscreve em um dos 17 sites próprios existentes no país (no mundo são 170) o produto que pretende materializar, seja um espetáculo, um livro, um filme, uma campanha e muitos outros. Alguns são até inusitados, como a criação de uma “cápsula do tempo para 2040”.

Se aceitar o projeto inscrito, o site escolhido faz a divulgação de seus objetivos e dos resultados esperados, bem como informa o valor necessário, o tempo previsto e os canais para a doação financeira.

Materializado o projeto, dependendo do que foi estabelecido previamente pelo proponente, os colaboradores podem receber algum tipo de recompensa, seja um exemplar autografado do disco ou do livro, ingresso para o espetáculo ou seu nome mencionado nos créditos de colaboração.

Este modelo de financiamento coletivo tem crescido mundialmente e movimentado grandes quantias. Segundo o site Daily Crowdsource, os 8 maiores sites de crowdfunding financiaram, no biênio 2010 / 2011, 13.200 projetos. As doações somaram US$ 102 milhões (algo em torno de R$ 185 milhões). Sua importância é tão crescente  que o Congresso americano debate uma lei para regulamentar a atividade.

Quer um exemplo de crowdfunding? A Wikipédia. Em sua maioria, o conteúdo desta enciclopédia on-line é produzido espontaneamente por colaboradores interessados em difundir informações sobre algo que conhecem, julgam relevante e desejam divulgar. E a Wikipédia não para de se atualizar e de crescer…