BLOG COOPERFORTE
Mais Publicacoes
  • Cooperativismo

Publicado em Cooperativismo , dia 28 de janeiro de 2015

“Dez Mandamentos” para um mundo melhor

Por: Cooperforte

blog_cooperforte_mandamentos_cooperativismo

2015, segundo a Organização das Nações Unidas – ONU é o Ano Internacional da Luz. Este título pode ter diversas interpretações além daquela que recomenda o uso racional da energia elétrica. Algumas, inclusive, bastante subjetivas, mas muito importantes para orientar o caminho a ser percorrido ao longo dos meses para, no fim do ano, ter os projetos pessoais e profissionais realizados.

Ninguém duvida que quanto maior for a harmonia entre os valores pessoais e as exigências externas, mais fácil e feliz será alcançar os objetivos desejados. Por isto, são alguns mandamentos muito úteis para, com o aprimoramento pessoal, contribuir para a construção de um mundo melhor:

 

I. Seja simples, de alma pura – O tempo passa, a gente cresce, mas, em essência, nunca abandona a alma de criança. Que tal utilizá-la para olhar o mundo, entender os acontecimentos e caminhar rumo à felicidade?

II. Partilhe e conte com o outro – Dar conta do recado sozinho tem muitos méritos, mas nem sempre é o melhor. Partilhe suas alegrias e preocupações e peça ajuda quando for necessário. Tudo fica mais fácil e mais leve.

III. Se ame e se cuide – “Quando a gente ama, é claro que a gente cuida”, ensina a música. Atenda a este recado, cuidando do corpo e da mente, com alimentação saudável, exercícios físicos, lazer e boas companhias.

IV. Crie, faça e aconteça – Ser dinâmico e produzir sempre é meio caminho andado para colher realizações. A cada conquista, almeje outra, maior ainda do que a alcançada. Quanto maior o sonho, maior a energia…

V. Não deixe para amanhã – Adiar iniciativas importantes é empurrar com a barriga algo que não pode ser postergado. Por isso, tome decisões e atitudes no tempo certo, otimizando o tempo e evitando desgastes.

VI. Seja correto – Tanto nas mínimas coisas quanto naquelas de maior visibilidade, seja ético, pois o que é  conquistado desta forma aumenta a dignidade e não vai causar vergonha ou constrangimento quando for descoberto.

VII. Coopere com a cidadania – Por menos que pareça, são as atitudes individuais, que somadas viram coletivas, que ditam os destinos da sociedade. Por isto, seja uma pessoa do bem, agindo e contribuindo para o bem comum.

VIII. Colabore e seja voluntário – Por natureza, de alguma forma todo mundo tem a ter desejo de ajudar o semelhante. Então, não perca a oportunidade de ser voluntário, colaborando para as grandes ou pequenas causas.

IX. Cuide do planeta – Quanto seus hábitos cotidianos e estilo de vida custam à natureza? Para ficar tranquilo com a resposta, reveja suas necessidades e pratique o consumo consciente. Afinal, nem tudo neste mundo é renovável.

X. Cultive e espalhe o alto-astral – Este “mandamento” sintetiza todos os demais e pode ser dito em uma única frase: quem planta e cultiva sementes de gentileza, responsabilidade, ética, cidadania, esperança e amor colhe mais amor e felicidade!

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 26 de janeiro de 2015

Selfie: este autorretrato pode mostrar o que você não quer ver

Por: Cooperforte

economia_dia_cooperforte_educacao_financeira

Na era digital,  quase todo mundo sabe que selfie é um  autorretrato eletrônico instantâneo, geralmente feito com um smartphone e imediatamente publicado nas redes sociais. Os selfies, de certo modo e objetivamente, além de seu propósito de compartilhamento, não têm outra finalidade senão autopromoção. Revela para  o mundo como, onde e com quem está (ou estava naquele momento) o autofotografado, por alguns psicólogos até considerado narcisista.

Hoje é muito fácil produzir e veicular um selfie e por isto estas imagens viraram uma febre na internet, principalmente entre os jovens. O tempo todo e em todo lugar há alguém se autofotografando, nas mais diversas e inesperadas situações. Em casa, na escola, no trabalho, na rua, nos aviões, nos parques, nos supermercados e até onde ninguém admite ou imagina…

Mas tanta liberdade de expressão e tamanha espontaneidade não podem ser confundidas com descompromisso. Afinal, o autorretrato muitas vezes mostra também fatos, cenas, ambientes, objetos, rótulos, placas e pessoas que estão em volta, ou ao fundo, de quem se fotografou. E isto muitas vezes acaba em confusão. Muita gente já se envolveu ou presenciou discussões, brigas e até demissão e processos judiciais por causa de selfies tirados em academias de ginástica, praias, clubes, piscinas, locais de trabalho, acidentes, funerais e ambientes afins. Isto porque, mesmo estando em locais públicos, todas as pessoas têm direitos sobre a própria imagem, inclusive de reclamar diante de publicações ou veiculações desautorizadas, em qualquer meio.

Sabendo disto, antes de tirar ou publicar um selfie, considere todos os elementos visuais que, além de você, estão e compõem a imagem. Pessoas, objetos, situações, logomarcas… Use o bom senso e procure certificar-se de que ele não é ofensivo a alguém nem pode levar a interpretações diferentes daquelas a que você se propõe e pode justificar. O mal uso do selfie é tão constante que já se criou até “guias de conduta” para este autorretrato digital. Para saber mais, clique aqui e veja. algumas matérias sobre estes manuais.

  • Cooperativismo

Publicado em Cooperativismo , dia 22 de janeiro de 2015

Um mundo mais cooperativo. Isto tem tudo a ver com você.

Por: Cooperforte

blog_cooperforte_trabalho_social_texto

O mundo será cada vez mais tão melhor quanto melhores forem as pessoas. Quanto mais a cidadania, a solidariedade e a gentileza fizerem parte do dia a dia. Quanto custa ceder a vez a quem mais precisa, ajudar a quem tem dificuldades ou, simplesmente, ser cordial em todos os ambientes? Você sabe: não custa nada. Pelo contrário, aumenta sentimentos de conforto humano, gratidão e bem-estar e pode até ajudar a vencer algumas dificuldades, entre elas a timidez.

Algumas pessoas se sensibilizam e se engajam tanto nestas questões que optam por participar voluntariamente de projetos e ações sistemáticas, desenvolvidos por organizações não-governamentais, entidades assistenciais ou de classe, instituições religiosas, escolas, hospitais e outras, cujo objetivo final é promover o bem-estar e a inserção econômico-social de quem vive em dificuldade.

Mas estas ações não fazem bem apenas às pessoas e comunidades assistidas; elas também trazem benefícios para o voluntário, entre eles:

 

Amplia a rede de relacionamentos – Proporciona conhecer outras pessoas que, pelo voluntariado, demonstram ter afinidades conosco. E também outras, de formação e realidades diferentes das nossas, o que enriquece a experiência de vida.

Desenvolve capacidades – Traz oportunidades de aprender e praticar coisas novas, como liderar pequenas equipes, motivar outras pessoas, desenvolver a oratória e novas habilidades.

Promove a autorrealização – Aumenta sentimentos positivos em relação a si próprio e ao mundo, elevando e fortalecendo a auto-estima, motivando para o crescimento pessoal e, até, agindo contra a monotonia, o tédio e a depressão.

Aumenta o compromisso ético – Facilita melhor compreender a natureza humana e certificar-se de que o comportamento ético inclui a prática da cidadania, do cooperativismo e da responsabilidade socioeconômica-ambiental.  

 

Se você se interessou pelo assunto e deseja colaborar ainda mais na construção de um mundo melhor, aí vai uma mãozinha: clique aqui e veja algumas alternativas de atuação.

 

  • Cooperativismo

Publicado em Cooperativismo , dia 15 de janeiro de 2015

Car sharing: esta moda pega no Brasil?

Por: Cooperforte

blog_cooperforte_carro_eletrico

O trânsito nas cidades brasileiras está cada vez mais caótico. Não apenas nas capitais, pois mesmo as cidades médias, por falta de planejamento, sofrem com o aumento contínuo de automóveis em suas ruas, muitas vezes estreitas e impróprias para tão intenso fluxo. Com isto, dirigir nestas circunstâncias está se tornando cada vez mais desgastante, elevando o nível de estresse a ponto de prejudicar a saúde e bem-estar. E também, pela emissão de gases poluentes, comprometendo a qualidade ambiental.

Esta realidade preocupa a todos, o que tem levado à busca de meios alternativos de transporte. Prova disto é que a implantação de projetos que disponibilizam bicicletas para uso da população, já adotados em alguns países desenvolvidos, agora crescem em nosso país.

Por seu ineditismo, uma nova modalidade de transporte está chamando a atenção dos brasileiros. É o car sharing, ou compartilhamento de carros, em que o cliente aluga um carro para uso em um curto espaço de tempo, geralmente poucas horas. Como os carros em questão são veículos elétricos, se reduziria o volume de carros que poluem o ambiente com a emissão de dióxido de carbono.

A alternativa está sendo testada em Recife, capital pernambucana, e, confirmada sua eficiência e adequação à nossa cultura e realidade, talvez o car sharing venha a ser adotado em outras cidades brasileiras.

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 12 de janeiro de 2015

Sol, mar, verão. Isto é bom, mas requer proteção!

Por: Cooperforte

blog_cooperforte_cancer_pele

País tropical. Céu azul, sol, mar, brisa, sal. Este é o sonho de muita gente quando chega o verão. Mas, para este sonho não se transformar em pesadelo, é preciso tomar alguns cuidados simples, mas muito importantes. Como por exemplo usar filtro solar.

Para dermatologistas esta medida, principalmente na faixa etária de  zero a vinte anos, é fundamental para prevenir câncer de pele. Mas quem já avançou esta idade não pode descuidar. Por isto, veja algumas dicas:

 

➨ Até 9 anos de idade é indicado filtro solar de fator de proteção igual ou superior a 30.

➨ A aplicação deve ser feita 30 minutos antes de se sair ao sol, pois este é o tempo necessário para a pele absorver o produto, e, depois, de 2 em 2 horas.

➨ O uso de filtro solar não dispensa a sombra de barracas e guarda-sóis, que chegam a absorver de 90 a 98% da radiação ultravioleta.

➨ No período das dez às dezesseis horas os raios ultravioleta são mais agressivos à pele.

➨ Mesmo em dias nublados deve-se usar protetor solar, pois até invisíveis os raios ultravioleta fazem tanto mal à pele quanto em dias ensolarados.

 

Veja abaixo o índice de incidência de câncer de pele em cada região do Brasil*:

Região do Brasil Incidência a cada 100 mil homens Incidência a cada 100 mil mulheres
Centro-Oeste 124 109
Sul 80 68
Sudeste 73 91
Nordeste 39 42
Norte 38 43

 

*Dados informados pelo INCA, Instituto Nacional do Câncer, referentes ao ano de 2012.

Publicado em Sem categoria , dia 8 de janeiro de 2015

2015: Ano Internacional da Luz

Por: Cooperforte

luz

2015 foi proclamado pela Assembleia Geral das Nações Unidas – ONU Ano Internacional da Luz.

Independentemente do sentido poético-filosófico que a escolha “Luz” pode ter, na verdade ela chama a atenção para um assunto de grande importância nos dias atuais: a questão energética.

Nestes tempos em que, entre outras questões ambientais, o esgotamento dos recursos hídricos do planeta é cada vez mais preocupante, o tema sustentabilidade mantém-se sempre em pauta, sugerindo às nações um novo posicionamento e às pessoas novas atitudes no seu relacionamento com tudo o que envolve recursos não-renováveis.

Assim, racionalizar, reciclar e reaproveitar tornaram-se palavras de ordem, inclusive quanto à eficiência energética. A Cooperforte faz parte desta corrente – tanto que dedica espaço, em todas as suas publicações impressas e eletrônicas, para questões ambientais. Um dos exemplos é a seção Sustentabilidade deste blog, que você pode acessar clicando aqui.

 

Especificamente sobre energia elétrica, o canal de educação financeira Economia dia a dia publicou:

Eficiência energética: quando o preço é mais alto e a economia maior

Economize energia, dia e noite, noite e dia

 

 

 

  • Atualidades

Publicado em Atualidades , dia 5 de janeiro de 2015

Tatuagem & diabetes. Tudo a ver?

Por: Cooperforte

diabetes

“Com saúde não se brinca” é um conselho muito ouvido como recomendação de cuidados para preservar a saúde. Mas o que a tatuagem tem a ver com isto? Muita coisa!

Antigamente, por ser mais comum entre marinheiros e presidiários, a tatuagem  foi, durante muito tempo, estigmatizada e marginalizada. Não era coisa de gente de bem. Porém, nos últimos anos, virou moda em quase todo o mundo e entre pessoas das mais variadas idades, como elemento estético e de individualização. Recentemente, está até sendo sugerida para cumprir uma função relacionada à saúde: identificar pessoas portadoras de diabetes.

Com a marca identificadora estampada na própria pele, o diabético é logo reconhecido ao chegar a prontos socorros ou hospitais, o que é muito importante em casos de acidentes ou para tratamentos emergenciais. Principalmente naqueles em que há comprometimento do estado de consciência.

A importância desta providência, que começou por ação espontânea, está ganhado força no meio médico. Uma campanha recente, promovida pela Associação de Diabetes Juvenil – ADJ conta a história de vários diabéticos brasileiros que fizeram da tatuagem uma informação de saúde. Veja: Diabéticos usam tatuagens para identificação em caso de emergência

Entretanto, para que o processo de tatuagem não traga riscos à saúde, principalmente aos diabéticos, é importantes seguir alguns cuidados e orientações, que você pode conhecer clicando aqui.